Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fui ao Cinema... E não comi pipocas!

As aventuras e desventuras de uma miúda que se alimenta de histórias cinematográficas.

Fui ao Cinema... E não comi pipocas!

ANTEVISÃO: As viúvas de Steve McQueen estão a chegar

Enquanto começava a pesquisar para escrever este texto, deparei-me um com uma entrevista de Viola Davis. Davis é uma das protagonistas de Viúvas, o novo filme de Steve McQueen que estreia dia 15 em Portugal, e nessa entrevista explicava como é que este não é o filme de que estamos à espera.

 

Baseado numa série britânica dos anos 80 com o mesmo nome, Viúvas conta os desafios de 4 mulheres forçadas a cometer um crime para pagar as dívidas deixadas pelos seus maridos – que morreram, como vemos pelo título. Pelo meio têm de lidar com forças policiais e políticos pouco corretos, num filme à la Oceans’ 8 protagonizado por mulheres que se juntam por uma necessidade comum. Mas Davis faz questão de mostrar que é muito mais do que isso.

 

“Não vemos casais acima dos 40 a beijarem-se desta forma no grande ecrã,” diz sobre uma das cenas do filme, protagonizada por si e por Liam Neeson (o seu marido). “E não vemos casais interraciais a beijarem-se desta forma, definitivamente. Mostra às pessoas que isto não é o típico filme de ação, que não vão conseguir comer pipocas e gostar de ver a cabeça de alguém a explodir.”

 

Então, o que é?

 

A visão de Steve McQueen

Para o próprio McQueen é parte do seu imaginário. Enquanto criança em Inglaterra, esta série foi a sua chamada de atenção; foi a série que lhe mostrou que pessoas com estereótipos muito vincados na sociedade podiam libertar-se e ser algo mais.

 

Foi por isso que decidiu adaptar para o cinema, mas não sem dar o seu próprio twist. Desta vez, Viúvas vai passar-se na Chicago atual, porque McQueen não queria virar costas ao que hoje estamos a viver. Trazendo para o presente uma história que continua atual, o realizador junta o mero entretenimento de um filme de ação aos graves problemas que hoje enfrentamos.

 

Até porque não é homem para fechar os olhos aos temas difíceis. Em 2014 ganhou o Óscar de Melhor Filme por 12 Anos Escravo (com um título muito sugestivo em relação ao tema), e antes disso já Vergonha e Fome tinham despertado a atenção por focarem temáticas fora do vulgar em Hollywood.

 

Para muitos, Viúvas é uma surpresa. Ninguém estava à espera que McQueen fosse o tipo de cineasta a pegar num filme pipoca como este. Só que ele sabe qual é o seu papel e o seu trabalho. “Primeiro, a minha responsabilidade é entreter... Mas com esperança que abram os olhos, que chame a atenção de coisas que acontecem todos os dias, que as pessoas as reconheçam.” 

 

Por isso sim, Viúvas é um filme de ação. Pega em tudo o que achamos piada nos heist movies (aqueles filmes em que o protagoista é o criminoso que queremos que seja bem sucessido) e quer que passemos um bom bocado.

 

Só que é protagonizado por 4 mulheres, numa Chicago contemporânea. E essas mulheres, e essa Chicago, têm um papel muito mais importante do que apenas fazer parte do cenário.

 

 

À luz da realidade

Voltando à entrevista de Viola Davis, a normalidade que procura não é muitas vezes aquela que encontramos nos filmes. Ter um casal com mais de 40 aos numa cena íntima não é sexy, é meio nojento, até – muito menos quando é interracial. Mas se acontece, se é normal, porque é que não vemos mais vezes representado?

 

Porque, como em tanto nesta Hollywood e cultura em geral, ainda é tabu o sexo em pessoas mais velhas; ainda é tabu vermos raças misturadas; ainda há uma pequena pontada de estranhez, como diz aquele amigo que todos temos: “eu não sou racista, mas não gosto de misturas.”

 

Sem mostrar de caras que isto das misturas é tão natural e real quanto tudo o resto, Viúvas toca logo num ponto sensível. Ele vai buscar protagonistas de todas as cores e feitios (a Davis juntam-se Michelle Rodriguez, Elizabeth Debicki e Cynthia Erivo) e dá-lhes tanta importância quanto merecem.

 

E claro, são mulheres.

 

São 4 mulheres fortes que, tal como as suas antecessoras, quebram os estereótipos de género e raça criados pela sua sociedade e mostram que não tem de existir diferença entre quem comete o crime. São iguais. As mulheres são igualmente capazes de se unir por um objetivo comum.

 

Parece que agora andam todos a chover no molhado, não é? “Ahh e tal, agora o que há até de mais são filmes com mulheres!” Então e depois? Há que lhes dar espaço, não só nas histórias mas também por trás das câmaras; há que reforçar ao público que isto é um novo dia.

 

Para McQueen, é. Nas suas protagonistas e com quem colabora: Gillian Flynn, a mulher por detrás do argumento de Em Parte Incerta, foi co-argumentista de Viúvas. Não apenas por ser mulher, mas pelo seu talento e valor.

 

O paradigma está a mudar e Hollywood muda com ele. Steve McQueen já percebeu isso há muito tempo atrás e, independentemente do género em que se propõe trabalhar, quer assegurar que nós também percebemos. Não é uma questão de elitismo ou de importância, mas sim uma forma de respeitar aquilo em que acredita.

 

Viúvas até pode ser a sua tentativa de ir para um género mais leve e inesperado, mas não é por isso que tem de ser menos cru e real. Como o próprio afirma, o entretenimento pode ser apenas entretenimento, mas se nos ajuda a abrir um pouco os olhos para o que está de errado com o mundo, porque não utilizar esta arma?

 

Este continua a ser um filme que não é político – pelo menos assumidamente. Continua a ser um filme sobre malta que comete crimes para sobreviver, numa cidade governada pela corrupção e pelo medo, com comunidades segregadas e pessoas muito convictas de si. Já não o eram os Oceans, ou 8 Mile?

 

A curiosidade que me prende a Viúvas vai além de como é que isso é possível – juntar todo num filme todas estas ideias sem deixar que se sobreponham em demasia com a ação. Estou curiosa também com a crítica. Apesar de estar a ser positiva (já estreou lá fora), muitos parecem pecar por não olhar para este seu lado mais subtil. Será que não perceberam? Será que têm medo da mudança?

 

Ou será apenas a prova de que a missão de McQueen ainda agora começou?

 

Viúvas estreia em Portugal a 15 de novembro.