Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fui ao Cinema... E não comi pipocas!

As aventuras e desventuras de uma miúda que se alimenta de histórias cinematográficas.

Fui ao Cinema... E não comi pipocas!

Victoria & Abdul (2017) – uma bela história de amizade

Sinopse: Quando o indiano Abdul (Ali Fazal) descobre que tem de ir a Inglaterra entregar um presente à Rainha Victória (Judi Dench) em honra do seu Jubileu, achava que tinha apenas a oportunidade de ver um novo mundo. Mas uma série de acontecimentos faz com que nasça entre os dois uma improvável amizade, que põe a família real em alvoroço.

 

 

Victoria & Abdul é precisamente aquilo que aparenta ser: uma história de amizade e algum conflito, simples e, acima de tudo, repleta de boa disposição.

 

Mais do que isso, leva-nos numa interessante viagem pela Índia e Inglaterra victorianas, numa época em que o encanto da família real se sobrepunha muitas vezes à forma como o povo vivia. Vemos de perto o comportamento da Corte, e como isso pode influenciar a vida de todos a que o rodeiam.

 

A história é baseada no livro de Shrabani Basu, uma jornalista indiana que achou curiosa a presença de retratos de um criado indiano numa das salas da Isle of White, onde a Rainha passava férias. A sua pesquisa levou-a a descobrir uma amizade que a família real tentou por tudo apagar da História, mas cujos diários de Abdul (entretanto descobertos) preservaram.

 

No filme, de uma forma muito simples e direta, vemos a forma como a sua relação cresce, e como a vida de Victória muda com a presença de Abdul – o que torna tudo tão mais interessante.

 

Nesse aspeto, o cunho de Stephen Frears (o realizador) está muito presente. O britânico tem-se dedicado a realizar histórias baseadas em factos reais (A Rainha, Filomena, Vencer a Qualquer Preço...), sempre com um lado muito humano.

 

Este Victória & Abdul não é exceção. Uma das perspetivas mais interessantes é vermos como a Rainha vivia em praticamente clausura, e como os seus momentos de lazer eram escassos. Nota-se perfeitamente a alteração no seu dia-a-dia que Abdul traz, e como passa a ver  a vida de outra forma.

 

 

O facto de Judi Dench já ter interpretado este papel só leva também a criarmos um universo e realismo mais interessantes. Dench foi Victória em Sua Majestade, Mrs Brown, em 1997. A história é semelhante: quando o princípe Alberto morre, a Rainha encontra em John Brown, um dos seus criados, um ombro amigo que a faz sair do estado de solidão em que se encontrava.

 

Os paralelismos são evidentes, e muitos consideram Victória & Abdul uma sequela do filme de 1997. Não o sendo oficialmente, é inegável que a sua influência existe, não só no nosso universo (em que a Rainha Victória se torna muito mais real com a presença de uma interpretação tão semelhante e cuidada), mas também na história. Porque os acontecimentos ainda a marcam, e ainda fazem parte da sua vida.

 

No fundo, Victória & Abdul é um filme muito agradável e com uma belíssima mensagem. Não há um único momento em que não nos deleciamos com a possibilidade de a amizade poder nascer entre qualquer pessoa, independentemente do seu estatuto social e origem.

 

Os momentos de humor são muito engraçados, e é impossível não ter um constante sorriso na cara enquanto vemos crescer esta relação tão genuína.

 

Vejam. Vejam naqueles dias cinzentos em que tudo parece estar a correr mal.Vejam e acreditem que a amizade e o amor ainda são das coisas mais bonitas do mundo.

 

***