Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fui ao Cinema... E não comi pipocas!

As aventuras e desventuras de uma miúda que se alimenta de histórias cinematográficas.

Fui ao Cinema... E não comi pipocas!

Trailer da semana – Ela está de volta!

Eu podia falar de tantos trailers interessantes que surgiram esta semana... Temos The Nice Guys, com Ryan Gosling e Russel Crowe. Temos War Dogs, o novo filme do realizador da trilogia A Ressaca, com Jonah Hill e Miles Teller nos principais papéis. Podia até falar do novo trailer de X-Men Apocalypse. Mas não, nenhum desses trailers fez furor esta semana – foi o regresso de Bridget Jones que pôs as redes sociais em brasa!

 

Chama-se Bridget Jones’ Baby e, como tão bem o nome indica, põe a nossa solteirona preferida com um bebé nos braços... E muitas complicações!

 

Se bem se lembram, em o novo Diário de Bridget Jones, de 2004, Bridget (na pele de Renée Zellweger) finalmente acredita que encontrou o amor ao lado de Mark Darcy (Colin Firth). Eles casam, vão viver juntos, pensam no para sempre e...

 

...Separam-se. É aqui que começa o novo filme, em que a protagonista tem de voltar a aprender a ser solteira, e basicamente regressamos ao primeiro momento em que a conhecemos.

 

Uma vez que todos os filmes da saga são baseados nos livros de Helen Fielding, desde 2013 que esperávamos este lançamento: a escritora publicou uma nova aventura de Bridget e, por isso, um novo filme começou também a ser pensado. E a expectativa era grande.


Só que, em Bridget Jones’ Baby, Bridget vê-se grávida sem saber quem é o pai da criança. Será Darcy, que nunca esqueceu e com quem acaba por ter uma recaída? Ou será Jack Qwant, o homem interpretado por Patrick Dempsey, que faz Bridget acreditar de novo no amor?

 

 

A resposta só saberemos em setembro, altura em que o filme deve estrear nas salas de cinema.

 

Por cá, o entusiasmo podia ser maior... Não pertenço à geração que encontrou esperança na figura de Bridget Jones, mas é difícil não associar a cara de Renée (que agora está um bocadinho diferente, não acham?) à eterna solteira.