Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fui ao Cinema... E não comi pipocas!

As aventuras e desventuras de uma miúda que se alimenta de histórias cinematográficas.

Fui ao Cinema... E não comi pipocas!

TRAILER DA SEMANA: Coming Through the Rye

Hoje trazemos um trailer diferente. Se bem que a semana tenha sido marcada pelo lançamento do primeiro trailer de Passagers (protagozinado por Jennifer Lawrence e Chris Pratt), é Coming Through the Rye que ganha destaque por aqui. Porquê?

 

Porque não faço ideia do que vai sair daqui.

 

 

 

Coming Through the Rye conta a história de Jamie Schwartz, um jovem em 1969 Sadwithzobcecado por Holden Caufield. Caufield é o protagonista de Catcher in the Rye, o romance de J.D. Salinger considerado um clássico da literatura norte-americana.

 

Na sua demanda, Schwartz acaba por fugir do colégio para ir ter com o autor e falar sobre o que o livro o faz pensar. É o típico filme de descoberta adolescente, em que o protagonista se vê na descoberta de quem é.

 

Quando digo que não tenho ideia do que vai sair daqui, é porque isto não é bem uma adaptação de um livro, mas é sobre um livro. E um livro do qual não sou fã.

 

Apesar de ser um clássico da literatura, não gostei. Aliás, não gostei mesmo nada. Não percebi o porquê de ser tão falado, o porquê de ser tão elogiado, e o porquê de haver tanta gente a gostar do livro. A escrita não é assim tão boa, e a história é meio meh.

 

Mas mesmo assim, todos parecem achar que é o romance ideal para os jovens adolescentes. E Coming Through the Rye parece mostrar isso mesmo, com um jovem que se identifica com Caufield como nunca antes se tinha identificado com alguém.

 

 

Saber que esta história foi adaptada da vida de James Steven Sadwith, o realizador, dá-lhe algum interesse. Jamie é na verdade uma personificação de um jovem Sadwith, que como ele vivia obcecado com criação de Salinger.

 

Por isso, e apenas por isso, estou curiosa com Coming Through the Rye. Quero que este filme me ajude a perceber o fenómeno em volta deste livro, e compreender o que podem os jovens sentir ao lê-lo – algo que eu claramente não compreendi.

 

Só em outubro, possivelmente no final, é que vamos assistir a este filme. Chegará às salas portuguesas?