Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fui ao Cinema... E não comi pipocas!

As aventuras e desventuras de uma miúda que se alimenta de histórias cinematográficas.

Fui ao Cinema... E não comi pipocas!

Pré-venda, o massacre das bilheteiras

De certeza que já vos aconteceu: naqueles filmes mesmo muito esperados e antecipados, as distribuidoras começam a preparar o público. Elas sabem que vamos querer ver o quanto antes, que vamos fazer filas e filas para comprar bilhete, e que as salas vão estar cheias a todas as horas.

 

E o que é que elas fazem? Põe os bilhetes em pré-venda.

 

Não os condeno. É como uma garantia de que as salas vão mesmo encher. Mais, é quase um incentivo à compra de pipocas e sumos: como não compramos logo o bilhete, parece que não custa tanto quando gastamos balúrdios antes do filme.

 

São só coisas boas. Todos ganham: as distribuidoras, e nós, que garantimos que temos lugar na primeira sessão daquele filme que queremos mesmo ver. A não ser, claro, que não demos conta que os bilhetes já estão à venda. Depois, quando vamos a comprar, já não há lugares nos três primeiros dias de exibição em lugares em que não ficamos com um torcicolo.

 

Aconteceu-me esta semana, com a exibição de Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los. Falta precisamente uma semana para a sua estreia, e os bilhetes já voam. Com a expectativa toda em volta do filme, cedi à pressão de acabei por reservar bilhetes. Ainda bem que o fiz, caso contrário, no dia chegava à sala para bater com o nariz com a porta.

 

 

Eu queria oito bilhetes. Tinha duas hipóteses: ou ia para o pé do ecrã, ou tínhamos de ficar espalhados nas filas laterais.

 

Parece que vamos a um concerto. Sabem, aqueles concertos que todos temos medo que esgotem, e compramos bilhetes com meses de antecedência. E isto para um evento que, supostamente, só acontece uma vez. Mas com salas cheias semanas antes da estreia, será que o cinema está a virar espetáculo único?

 

No meu caso, podia ser pior. Podia não haver nenhum lugar mesmo, ou não conseguirmos estar mais do que duas pessoas juntas a ver o filme. Até tivemos sorte, mas aqueles que chegaram depois de nós, com certeza que tiveram dificuldades. Esta não é, de todo, a primeira sessão, e já está cheia. Todos têm medo de perder o lugar.

 

Eu tive. Eu quero mesmo muito ver este filme, por muito que tente manter as expectativas em baixo. E sou daquelas que gosta de ver este tipo de sagas logo no primeiro dia, para poder falar com toda a gente sobre ele e não ficar de fora de todo o mundo da internet. É claro que tive de aproveitar a pré-reserva!

 

Para mais, não gosto de ir ao cinema sozinha. Já, já experimentei, e parece que falta qualquer coisa – aquela discussão no final, a troca de ideias, o percebermos que os outros também gostaram (ou não) daquela experiência. Não sei se já perceberam, mas eu gosto de partilhar a minha opinião sobre os filmes.

 

Esta história da pré-venda é muito bonita, e até dá jeito. Mas por vezes, dá mais dores de cabeça do que aquelas que tira. Nem é por isso que as filas ficam mais pequenas no dia da exibição; até há momentos em que ficam piores!

 

Cá estaremos para ver. O que sei é que dia 17 lá estarei, com um bilhete comprado uma semana antes. Quem diria…