Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fui ao Cinema... E não comi pipocas!

As aventuras e desventuras de uma miúda que se alimenta de histórias cinematográficas.

Fui ao Cinema... E não comi pipocas!

Especial It: o filme de terror mais esperado do ano

Pelo menos, é um dos filmes que mais expectativa tem gerado. Mas já falta pouco para dissiparmos todas as dúvidas, porque é a 14 de setembro que finalmente It chega às salas de cinema portuguesas!

 

Desde que o primeiro trailer foi lançado, em março deste ano, já foi visto mais de 30 milhões de vezes, e passou a ser considerado  o filme de terror que todos temos de ver em 2017.

 

Eu fui uma daquelas que ficou de boca aberta com aquilo que vi. Como já disse por aqui, adoro filmes de terror, sobretudo quando mexem com a mente e natureza humana. Pouco sabia sobre It até então, mas adorei a ideia de um palhaço assassino. Também conhecia por alto a figura de Tim Curry no papel de Pennywise (sim, o palhaço) na mini-série que foi lançada em 1990, mas o meu conhecimento acabava aí.

 

 

Então descobri que se tratava de uma adaptação de um livro de Stephen King, e tomei a empreitada (após uma ótima sugestão) de ler as suas mais de 1300 páginas. E foi um dos melhores livros que li este ano.

 

Por isso, e porque estou muito, muito, muito entusiasmada com este filme (e as reações têm sido ótimas), começa hoje um especial sobre It, que vai contar com a review ao filme, uma comparação com a mini-série e... qualquer sugestão que gostassem de ver aqui no blog sobre esta peça de arte!

 

 

O filme

 

A premissa parece muito simples: no verão de 1957, uma série de misteriosos desaparecimentos e assassinatos de crianças começam a acontecer em Derry, uma pequena cidade dos Estados Unidos. Quando toda a cidade parece estar adormecida para a sua importância, um grupo de sete jovens vitimas de bullying percebe que há qualquer coisa à solta pela cidade. E são eles que vão tentar descobrir, e destruí-lo.

 

Escusado será dizer que essa qualquer coisa é um monstro sem forma que gosta de assumir a figura de um palhaço para atrair crianças.

 

Se ficaram assustados por saber que o livro original teria mais de 1300 páginas, nada temam: o livro conta esta história, mas também tudo o que aconteceu depois. É que o It tem a mania de aparecer de 27 em 27 anos, e no livro conhecemos ainda o que acontecem 27 anos depois destes eventos.

 

O Loser's Club (como se auto-intitulam) em 1957. 

 

A produção do filme decidiu basear-se apenas nos acontecimentos de 1957. Porém, uma sequela já está a ser preparada para adaptar o resto da história, e dar-nos um pouco mais sobre as origens de Pennywise, o aterrador palhaço.

 

Aliás, o palhaço é a melhor referência para este It.

 

Desde a mini-série de 1990, e da maravilhosa interpretação de Tim Curry, que vive no imaginário e pesadelos de quem o conhece. Apesar de assumir várias formas ao longo da história, é como palhaço que nos atrai – e o pior é que esse é sempre o seu objetivo.

 

A figura de Pennywise é tão marcante, que o filme de It está a ser pensado desde 1990.

 

 A interpretação de Tim Curry, em 1990, deixou muitos com pesadelos marcantes.

 

Foi Cary Fukunaga quem originalmente começou a pegar no projeto, e durante vários anos foi o realizador escolhido para a trama. Mas em 2015, devido a diferenças de opinião com o estúdio, foi substituído por Andy Muschetti.

 

A sua presença ao leme do projeto deu-lhe um novo alento, até porque Muschetti foi o responsável por Mamã. O filme de 2013, protagonizado por Jessica Chastain e Nikolaj Coster-Waldau (o Jaime Lanister de A Guerra dos Tronos), recebeu vários elogios. Existe uma grande curiosidade para saber como pegou nesta história.

 

Alguns já puderam saciar essa curiosidade, pois It já estreou em vários países. A critica tem sido muito favorável, e o público tem estado ao rubro. Multiplicam-se as notícias de palhaços no desemprego!

 

Por cá, a estreia foi adiada para dia 14 de setembro – o que significa que está mesmo quase!

 

Quem é que vai assistir?

5 comentários

Comentar post