Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fui ao Cinema... E não comi pipocas!

As aventuras e desventuras de uma miúda que se alimenta de histórias cinematográficas.

Fui ao Cinema... E não comi pipocas!

Emma Stone como Cruella de Vil? #TudoDeBom

Sempre gostei de ruivas. Até cheguei a pintar o cabelo, só para conseguir ter aquele ar de mistério e sedução. Talvez porque tenha assistido a um Zombieland com uma jovem Emma Stone, e a partir daí cresceu um fraquinho por esta pessoa que continua até hoje. 

 

A Emma é uma das minhas atrizes de eleição. Ela é genuína, é forte, é daquelas mulheres simples mas cheias de carácter que nos faz ficar presos no seu olhar. De alguma forma, passa a dose certa de drama e simplicidade nos seus papéis, daí ficar com as expectativas no alto quando um novo filme surge com a sua participação. 

 

 

Um dos mais recentes é La La Land, aquele filme do qual tenho falado vezes sem conta, e que quero ver mais do que comer os novos Dunkin Donuts (que chegam a Portugal em 2017, pelo que dizem). E eu gosto muito de donuts. A crítica só me tem dado forças, ao considerar La La Land o melhor filme do ano, e ao nomeá-lo para o Globo de Ouro para Melhor Filme. 

 

Por isso, ter a confirmação de que Emma Stone será Cruella de Vil no cinema só pode trazer coisas boas!

 

A notícia chegou há alguns meses, mas pouco se sabia ainda sobre o projeto. Sabíamos apenas que seria um filme em imagem real, e que possivelmente nos traria a origem de uma das vilãs mais odiadas de sempre - quem é que tem a coragem de matar tantos cães lindos para fazer um casaco? 

 

Mas se antes não passava de um rumor que podia ser realidade, esta semana as dúvidas foram dissipadas quando um nome já foi adiantado para realizador. Alex Timbers está em conversações para ficar aos comandos, e todos sabemos que quando um realizador é encontrado, o mais provável é que o filme vá mesmo para a frente. 

 

Timbers pode não ter experiência em dirigir longas metragens do género, mas isso nunca impediu ninguém de fazer um bom trabalho. O seu trabalho no teatro e na série da Amazon Mozart In the Jungle tem sido reconhecido ao longo dos anos, por isso é sempre bom ver o que pode trazer a este filme. 

 

Por agora, o filme foi batizado de Cruella. Eu sei, eu sei: a última vez que a Disney quis fazer um live-action sobre uma vilã, e deu o seu nome ao filme, a coisa não correu bem. Em Maleficient, pouco conseguiu salvar a película, além da beleza e carisma de Angelina Jolie. 

 

 Glenn Close foi a primeira a interpretar a vilã no cinema, na adaptação live-action de 1996. E que bem que estava...

 

O medo de o que o mesmo aconteça com este Cruella existe, mas estou a tentar dar-lhe uma hipótese. Não posso perder a oportunidade de ver Emma Stone naquele tom altivo e muito confiante da vilã, sempre na moda e com muita força. Acho mesmo que lhe assenta como uma luva, e com tantas novidades, talvez aqui a Disney consiga redimir-se. 

 

Quando vai chegar até nós, isso já é outra conversa. Já ouvi falar sobre produções que demoraram dois anos a chegar às salas, depois de confirmada a equipa. Outros demoram muito menos tempo, se o trabalho de bastidores for bem feito. O ano de 2018 é um dos adiantados. Resta-nos esperar por mais pormenores.